Parte 5

Sobre a Fada Violeta
Entre os intervalos de alguns namoros meus, descobri a internet, e na época, os chats do Terra. Resolvi entrar e ver qual era. Foi aí que encontrei uma diversão maravilhosa.
O problema todo era escolher um nick. Entrava com meu nome mesmo, colocava: Violeta. Muitos achavam que eu era uma coroa, ou algo parecido. Pensei numa forma mais atrativa. Eu sempre fui vidrada em mitos e lendas. Pensei que princesa era um apelido muito vileiro, muito brega, e mesmo eu sendo breguissima isso não daria o efeito que eu deseja.
Então, me ocorreu Fada. Fada Violeta, com nome e sobrenome. Fada nasceu em algum´sábado vespertino de primavera em 1999. Foi sucesso imediato. Eu não conseguia dar conta de todos os otários que queriam me conhecer ao vivo.
Quando perguntavam com eu era, a descrição de minha aparência constava dos seguintes itens: morena, 1,72 kg, 65kg, cabelos longos e negros, olhos pretos. Tinha sempre 21 anos e estava no último semestre de Arquitetura, pois me dava um ar de patricinha.
Fada Violeta, se chamava, Branca, e algumas vezes Luiza. ela nunca morava na cidade, estava sempre de passagem aos finais de semana, claro, minha internet era discada e só nesses horário eu entrava.
Ela marcava encontros, dizia que iria vestida de blusa vermelha, ou se fosse em alguma praça, seria reconhecida, pois iria levar Asdrubal, o dog alemão dos tios dela, onde ela se hospedava. E muitos iam. E todos era feios. Velhos. Gordos. Esquisitos. Psicopatas. Fada nunca era identificada, porque o que eles viam eram uma aprendiz de Xuxa passando. E eu ria, e Fada se tornava cada vez mais maquiavélica. Fada é maquiavélica.
Só um deles valeu a pena. Era gato de me jogar no chão. Seu nome, Miguel. Sobre Miguel contarei depois do Sobre Mario, que virá no próximo capítulo. Fora isso tudo foi diversão.
E houve o dia que surgiu orkut. E óbvio que ela precisava entrar. Pouco se falava em fake na época. Mas ela estava lá. Por indicação de um amigo, foi parar direto na comunidade Mi Español és Fueda. Lá ela ganhou espaço. E cresceu, ganhou fama, fãs, glória e esplendor. Algo que ela sempre quis, porque Fada é vaidosa.
Lá ela conheceu um grupo de meninas. Todos solteironas convictas e desastradas no amor. Juntas fundaram o Cluv de Las Rrrodidas. Porém algumas desencalharam, tiveram sorte, e resolveram se preservar e sair do orkut. E eis que o Cluv, um centro de auto-ajuda e diversão parou nas mãos de Fada.
Foi sua glória. Seu apogeu. Ela tinha fãs, fama, e agora poder, súditos, vassalos. Era amada, odiada e idolatrada. Era oidada sim porque ela fala com sinceridade, mesmo que doa. Se o seu cabelo estiver feio ela fará. Toda mulher para ela está sempre gorda. Todo menino precisa malhar mais. Se você for sem graça, ela não debochará, ela dirá: você é sem graça. E se isso doer, ela se mata. Ressucita no outro dia, porque ela tem múltiplas vidas. Ela volta na forma de um ovo, depois vira lagarta, casulo, borboleta, e por fim mostra sua beleza. Sua aparência preferida é de Rainha Elisabeth.
Mas ela mesmo sendo uma monarca severa, uma déspota, e extremamente autoritária, sempre promoveu prêmios a seus filhos, porque ela adota todo mundo. Muitos de seus principes e princesas ganharam o direito de ser donos da comunidad por 24 horas, com total direitos e liberdade. Bastava ser o vencedor de alguma de suas tarefas promocionais.
Mas um dia seu reino diminui, e antes que o que era belo virasse ruína, ela mesmo ateou fogo no Cluv e destruiu e Fada partiu, em sua mais longa viagem. Está no limbo até hoje. Mas sei que ela possui algumas vidas a gastar. E pode surgir a qualquer momento. Pois ela é imortal.
Se ouvirem alguém falando: leques, leques para moi, saibam Fada viu algum homem interessante e o quer para reproduzir. Fada é promíscua.
Não sei que rumos ela dará, se ressucitará ou não, mas caso volte cuidado.

1 comentários:

gil disse...

ouvi "leques, leques para moi" ou meu ouvido está me zoando?